Confessionário SOS

21:38

Por Débora Queirós

Nota da Debi: A história é beeeeeeem grande. Na verdade nem é uma confissão, é um desabafo, uma carta de uma filha para um pai. Achei legal publicar, porque muitas vezes -acredite, eu sei o que é isso- temos nossos pais -familiares- ao nosso lado e não demonstramos nem um pouco que o amamos, e isso é difícil pra mim, acho que pra você também pode ser, por isso, diga que os ame, antes que seja tarde demais...

Segundo domingo de agosto, mais conhecido por “dia dos pais”. Talvez um dia comum como qualquer outro. Para muitos, um dia especial. Para mim é mais um dia entre 10anos que me traz na memória a imagem do meu pai.

Eu tinha apenas 6anos quando você se foi. Me lembro como se fosse hoje, aquela ‘reunião de família’ na sala. Estava eu, minha mãe e meus irmãos. Todos muitos calados, sem ter o que falar.. na verdade sem saber o que falar. E eu perguntando o que tinha acontecido, porque teríamos que ter aquela reunião de família e sem o papai... Após muita conversa, muitas lágrimas, eu teoricamente teria entendido tudo o que havia acontecido, mas na verdade não. Para mim era apenas uma daquelas longas viagens que você fazia, que passava alguns dias fora de casa, as vezes até semanas. Mas uma coisa que eu nunca esqueci que meu irmão falou e que nunca vou esquecer ‘Sempre que você sentir saudade do pai, olhe pro céu.. procure a estrela mais brilhosa. Será ele!’. Aquele dia que me contaram o que tinha acontecido, eu passei boa parte do tempo olhando para o céu, procurando sempre pela estrela mais brilhosa e tentando entender todas as coisas que me falaram. Bom, os dias foram se passando. De dias viraram semanas, meses e anos, e aquela sua viajem realmente não tinha mais volta.

Tem dias, que eu me perco nas lembranças.. passo horas pensando em como era bom ter você comigo, mesmo não conseguindo lembrar de cada detalhe. Penso também de como seria ter você na minha vida até agora. Poxa são 10anos que eu não te tenho aqui comigo, tem noção de quanto tempo você me deixou aqui? Sem o herói ao meu lado? Sabe o que é milhões de pessoas chegar pra ti e dizer ‘qual o nome do seu pai?’, ‘teu pai vai te levar pra casa do fulano?’ ou ‘e o teu pai? Porque não fala nele?’ e você ter que evitar lágrimas nos seus olhos e ainda ter que explicar a história toda, ouvir aquele ‘nossa, desculpa por tocar nesse assunto, eu não sabia’ e você ter que falar ‘imagina, estou acostumada já’ e sorrir? É, pode até parecer fácil, mas não é.. nem um pouco! Sabe eu realmente sinto falta daquele seu sorriso, da sua mania chata de me fazer rir por qualquer coisa, do seu abraço, do seu ‘bom dia’ e ‘boa noite minha filha, durma bem’, de quando eu ia te chamar para almoçar e você me perguntava o que tinha de almoço, eu ia falando todas as coisas e você dizia ‘ual, quanta coisa gostosa. Vamos lavar as mãos para ir lá almoçar’. Eu sinto falta de ti, muita. Sei que hoje em dia as coisas provavelmente não seriam tão ‘moleza’ como eram quando eu tinha 4/5/6anos, lembro de como você era rigoroso em todos os aspectos, mas talvez eu seria uma pessoa muito diferente também, por ter um pai ao meu lado, aquele que iria me dar atenção e cuidar de mim, como nenhum outro.

Estou aqui ouvindo uma música que diz ‘só não queria dizer adeus, eu não queria dizer..’ e pra ti eu realmente não queria dizer ‘adeus’, mas se eu pensar bem.. eu nunca pude te dar esse adeus. Nunca pude me despedir de você. Eu não fui no seu enterro, eu não falei contigo praticamente por 2anos inteiros em quanto ainda estava vivo. Pra ser bem sincera, eu não me lembro qual foi o ultimo ‘eu te amo pai’ que eu falei. Eu queria entender porque você se foi tão cedo, porque você se foi sem eu poder me despedir, porque você me deixou assim.. sem nenhuma explicação. Só queria entender isso, só isso. Mas sabe de uma coisa? Pra que eu me despedir? Só pra mim chorar mais? Um dia a gente vai se encontrar novamente e do que iria adiantar toda aquela despedida? Em nada não é mesmo? Só continuo achando que você deveria estar lá em casa, fazendo nosso churrasco, me ensinando suas manias de como ‘assar a carne’ da forma correta. 

Pois é pai, eu vejo tantas pessoas que tem um pai e que não valorizam. Eu não tenho você aqui, talvez se eu tivesse não iria valorizar também, pois ‘damos valor apenas quando perdemos’. Eu já estou começando a perder as palavras, talvez porque minhas lágrimas acabaram também. Fazia tempo que eu não fazia um texto pra você né? Desculpe. Mas não pense que só por isso eu não pensava em você, eu olho para o céu todos os dias e procuro aquela estrela mais brilhosa ou apenas olho para a lua e começo a admirar, eu me lembro como você gostava de olhar pra lua. Você sempre falava que gostava, me levava para observar as estrelas, falava o nome delas.. era tão legal! Lembrei de um natal, na verdade acho que era ano novo que fomos pro meio da rua só para olhar o céu, tinham balões se espalhando pelo céu, foi lindo! Lembrei também que depois que você se foi, nenhum aniversário, natal e ano novo foram a mesma coisa. Sei lá, antes eu fazia questão de estar presente nessas datas, era divertido, a família toda sempre estava reunida. Depois que você morreu, as coisas ficaram tão mortas, completamente. Eu odeio meus aniversários, eles são ‘sem sal’, prefiro não fazer.. os natais não tem mais o ‘amigo secreto’ nem aquela quantidade enorme de presentes que tinha, que eu e você amávamos. O ano novo? Ninguém consegue estourar uma champanhe como você estourava, ninguém mais estourou fogos de artifício comigo como você fazia. É pai, você meio que fez eu perder o ‘sentido da vida’, sem você aqui as coisas não são as mesmas. Volte, por favor.. eu sempre esperei a sua volta, todos os dias quando ia almoçar eu ia te chamar e você não estava lá. Aparece aqui, agora, nesse exato momento, me abraça e diz que você voltou, diz que a sua viajem acabou hoje, que demorou esses 10anos, mas que nunca mais vai me deixar sozinha! Diz ‘minha pequena, como você cresceu’. Por favor, faça isso.. por mim! É, eu aposto que se você pudesse, provavelmente faria isso.

A intenção era vir aqui só para te desejar um ‘feliz dia dos pais’ e te agradecer por ser o melhor pai do mundo, mesmo estando longe de mim, mesmo não estado presente em carne e osso comigo, mas por estar sempre me protegendo de tanta coisa por ai. E no final das contas eu escrevi praticamente um livro! Mas beleza, vou fazer isso agora.

Pai,

Meu herói, meu protetor, meu anjo. Hoje é o seu dia! A gente está um tanto distante um do outro, por um grande tempo também, mas eu nunca deixei de te amar, nunca deixei de lembrar seu rosto, sua voz, seu sorriso, de todo.

Estou passando aqui para te agradecer por tudo, por cada segundo que você me fez feliz e também por me proteger durante esses meus 16anos, ou melhor.. quase 16anos. Viu, eu cresci pai! Posso te dizer que não sou a melhor filha do mundo, mas sei que você iria discordar se estivesse aqui.

Queria ter tido um tempo maior ao seu lado, queria ter te mostrado as coisas novas que aprendi.. Até os meus sobrinhos, seus netos. Aposto que a gente iria brincar bastante com eles, não é mesmo? 

Eu queria poder estar contigo agora. Talvez eu não te daria nenhum presente hoje, mesmo você merecendo o mundo. Mas com toda a certeza teria o meu ‘feliz dia dos pais’, um abraço apertado.. um beijo e um queijo como você dizia.

Desculpa pelas vezes que eu posso ter te decepcionado e aborrecido.

Eu te amo pai, sempre te amei e sempre vou te amar. Não se esquece da sua filha casula, a sua pequena, sua eterna pequena. Obrigada por tudo pai, sei que você me da à força que me falta muitas vezes.

Independente de onde esteja, fique bem, me preocupo contigo! De preferência, esteja sempre ao meu lado. Se cuida tá?

Da sua filha Gizely Garcia.

Você pode gostar também:

0 comentários

POPULARES

INSTAGRAM

CONTATO

Nome

E-mail *

Mensagem *

Inscreva-se