Perdida.

21:13

Por Larissa Fortes

A vida é como se fosse um gigantesco labirinto, é difícil encontrar o prêmio, é difícil chegar a até o fim. Os mesmos vão multiplicando-se como uma praga com inúmeras ramificações e cada um com seu determinado prêmio: aquele amor, aqueles amigos, aquele dia perfeito... Não suporto mais, parece que existe labirintos por dentro de minhas veias, que não deixam o sangue chegar ao meu coração, por isso a glória esta cada vez mais longe, mais incansável. Meu sangue não corre como deveria correr, meu coração já não pulsa como deveria pulsar, minha respiração é difícil, minhas pernas se tornaram pesadas... É como se esse grande labirinto me puxasse ao chão, me deixando cair, mantendo-me só, olho em volta e não vejo mais ninguém, apenas grandes muros sem vida, sem ação, sem a mínima compaixão. Olho novamente e vejo o mundo rodar na ponta do meu nariz, mas não consigo rodar junto com ele, esta tudo me puxando cada vez mais fundo. Minha visão fica turva, olho para o céu e vejo os meus maiores desejos lá, projetados, mas meus braços não se mexem, meu corpo não responde aos meus comandos, da li em diante me convenço de que nada mais vale à pena. Por um milagre, meus olhos respondem e me mostram uma luz brilhando perto de mim, sinto que ela esta me puxando, mas ao lado oposto, estou tão perto, mas ainda não consigo alcançá-la. Sei que ela esta lá, esperando ser tocada, descoberta, querendo entregar-se. De repente o brilho se torna menos intenso e chego a conclusão que ela parou de se render, o medo a inundou e ela voltou a esconder-se naquele imenso labirinto. Mais uma vez.

Você pode gostar também:

0 comentários

POPULARES

INSTAGRAM

CONTATO

Nome

E-mail *

Mensagem *

Inscreva-se