Confessionário S.O.S

15:24

Meu nome é Nati, tenho 14 anos.

“Eu tinha mais ou menos uns 10 anos e tinha um fake da Dulce Maria. Conheci um cara numa balada fake e a gente começou a ficar... namorar... Até que ele me perguntou sobre a 'offa' e eu, confiando nele, na inocência, disse. Nome, idade, cidade onde morava, escola etc e tal. Ele me disse que se chamava Caio, tinha 16 anos e me mandou uma foto "dele". Comecei a me apaixonar tanto por este Caio, que fui capaz de pedir para adicionar em meu msn of. Depois de um tempo ele começou a dizer que estava doente, com falta de ar e blah blah blah. Ai depois um primo dele disse que ele estava realmente muito mal e foi parar no hospital. Fiquei desesperada e fui na casa da minha amiga, para desabafar. Um tempo depois, ele entrou no msn e disse que estava no notebook dentro do hospital. Disse um monte de babozeira, que estava com saudade, que me amava (...) e chamou a 'mãe' dele pra conversar comigo. 'Ela' me disse que iria comprar uma bolsa da kipling, porque fazia questão, já que comprava todo mês uma diferente, disse que me adorou, que o Caio falava muito de mim. Na minha inocência, mesmo desconfiando um pouco, eu acreditava. Minha amiga começou a ficar apaixonada pelo primo dele. Os dias passavam e ele ficava cada vez mais doente e eu ia todo dia na casa da minha amiga para chorar. Minha mãe, vendo como estava diferente, começou a procurar no computador alguma coisa. Até que achou uma conversa minha e dele que havia esquecido de excluir. Logo ela ligou pro meu tio que trabalha na prefeitura e ele começou a suspeitar que era pedofilia. Minha mãe ligou na casa da minha amiga, dizendo, pra mim, que ele era um pedófilo. Eu comecei a chorar MUITO, tremia demais. Nunca havia passado na minha cabeça que aquele cara tão legal que dizia-se apaixonado por mim queria simplesmente abusar do meu bom e inocente coração. Minha mãe imprimiu a conversa, a foto dele, pegou a senha do meu fake e foi a delegacia. Eles conseguiram o IP do cara, não me lembro de onde ele era. Enfim, até hoje, não sei que fim deu isso. Minha mãe não me diz mais nada. Precisei de psicóloga e mudar de escola, pois havia falado onde estudava. Enfim, mudou muita coisa. Repeti de ano, quase fiquei entrei em depressão. Voltei a escola normal, mas continuo indo na psicóloga. Minha mãe me proibiu de fazer fake e até hoje ela não superou. E pra mim, isso serviu de lição, pra não confiar em qualquer pessoa, já que aqui no fake podemos ser quem queremos. São lembranças de um passado que não quero mais lembrar.” 

Minha maior vontade é mostrar minha história para todo o mundo fake, mesmo sabendo que isto é quase impossível. Mas se um ler, já faz a diferença. Eu não gostaria que isto acontecesse com ninguém, afinal, pior do que um amor não correspondido, é um amor falsificado. E é isso. Obrigada pela atenção :)

Se não for pedir muito, já que tenho uma esperança muito forte, queria divulgar meu blog: olhos que pensam. Espero que lhe agradem... E mais uma vez obrigada :)

Comentário: "Já vive muitos anos em fake. Graças a Deus sempre dei sorte com as pessoas que conheci por lá. Mas sua história é um alerta importante. Todas pensam que com elas não vai acontecer. E os alertas e histórias como a sua, estão ai para nos mostram quão enganadas estamos. Manu, muito obrigada pela confissão. Debinha.Q"
Se você quiser que sua história apareça aqui no CONFESSIONÁRIO, nos mande um email para:
inventeseudia@hotmail.com 
Quem será o próximo ou próxima corajosa?

Você pode gostar também:

0 comentários

POPULARES

INSTAGRAM

CONTATO

Nome

E-mail *

Mensagem *

Inscreva-se